Projeto Canadá em Manitoba: Um gaúcho desbravando a cidade de Brandon

Casal Gaúcho no CanadáProjeto Canadá

O #projetocanada desembarca esta semana na província de Manitoba para contar a história de um gaúcho que chegou no país, em Janeiro de 2019, direto da pequena cidade de Candiota (RS).

Ele ainda está no início desta jornada, que é longa e cheia de batalhas, mas certamente veio com tudo para ficar.

O momento de agir

O fato é que sair da zona de conforto e partir do zero não é para qualquer um. Trocar uma carreira estável por um recomeço exige dedicação absoluta e, acima de tudo,  muita coragem.

Léo chegou sozinho mas já teve a sorte de conhecer a Rand, que é da Jordânia, e agora divide com ele os desafios em terras canadenses. Anote as dicas e saiba mais sobre a vida na segunda maior cidade de Manitoba.

Canadiando: Por que você escolheu Manitoba?

Léo: Na época que estava pesquisando eu só conhecia duas pessoas no Canadá. Como uma delas estava me passando as opções de cursos, colleges e locais que eu não tinha muito noção, acabei optando por uma cidade de porte pequeno (parecida com a minha cidade no Brasil).

A escolha também foi porque Manitoba tem um processo de imigração tranquilo e um estilo de vida mais pacato. Isso me interessava desde sempre.

Canadiando: E como é a vida numa cidade tão pequena? Você acha que fez uma boa escolha?

Léo: Brandon é um local muito legal! A cidade tem menos de 50 mil habitantes mas boas opções de entretenimento, da mesma forma que uma cidade de cerca de 250 mil no Brasil. O nível de segurança é absurdamente alto e as pessoas são, de fato, muito gentis.

Os únicos pontos que me incomodam são a distância de um aeroporto importante (Winnipeg) e, claro, o menor número de opções culturais, restaurantes, etc em relação a Winnipeg. Vale destacar que durante o período mais intenso do inverno evitamos pegar a estrada. Isso faz com que a gente se sinta meio isolado do resto da província. 

Eu morei por cinco meses em Winnipeg e posso dizer com certeza absoluta que estou gostando muito mais de Brandon (e acho que todos os brasileiros que moram aqui pensam o mesmo!).

Conheço gente daqui que recebeu proposta pra ganhar o dobro em Winnipeg e não quis ir embora.

Canadiando: O que motivou a sua mudança para o Canadá?

Léo: Basicamente o alto nível de violência e corrupção. Além disso, em 2018 aconteceu algo muito inusitado que influenciou bastante nesse projeto: eu comprei uma passagem de surpresa para passear com meu irmão na Nova Zelândia.

Quando chegamos lá, logo que chegamos ele aplicou e conseguiu uma entrevista de emprego na área dele (Engenharia). Em seguida, teve uma apendicite, foi operado lá mesmo, e conseguiu ir pra entrevista e ainda ser contratado. Mora até hoje lá. Depois disso, durante a viagem mesmo, eu comecei a repensar minha vida. Cheguei no Brasil, vendi tudo que eu tinha e comecei a planejar minha mudança para o Canadá.

Canadiando: E porque você não optou pela Nova Zelândia?

Léo: Fiquei meio inseguro em relação ao processo de imigração. Mas o país é espetacular. 

Canadiando: E qual foi a sua estratégia para o Canadá?

Léo: Meu planejamento sempre foi fazer um curso de Inglês antes de começar o College. No caso, fiz o  Heartland English School, em Winnipeg, que é credenciado ao College (Assiniboine Community College).

Eles enviam uma carta quando o aluno está com o inglês suficiente pra começar, isentando do IELTS. Cheguei no Canadá em janeiro e em maio já mudei para Brandon e fiquei esperando três meses até iniciar o meu curso de Business Administration.

Canadiando: Nível de inglês na chegada?

Léo: Era fraco. Eu já tinha feito cinco viagens para outros continentes e me virava razoavelmente. Mas sempre para países em que o inglês não era a primeira língua. Quando você começa a conversar com os nativos, a coisa complica. Nos primeiros meses eu passei trabalho, principalmente porque alguns falam muito rápido, usam gírias etc. 

Canadiando: O que foi mais difícil deixar para trás?

Léo: Eu tinha um pequeno hotel e o meu consultório. Minha vida era bem confortável. Todo mundo achou que eu tinha enlouquecido quando decidi me mudar.

Canadiando:  E como avalia os cursos e as instituições que você escolheu?
Léo:

  • Heartland English School (Winnipeg, Manitoba) por 5 meses: Escola muito legal, organizada. Valeu muito a pena!
  • Assiniboine Community College (Brandon, Manitoba) curso de Business Administration: O College em si é muito legal, ambiente super receptivo. Eu terminei o primeiro ano já e estou indo para o segundo. Sinceramente, eu sinto que não aprendi muita coisa no curso. Eu já trabalhava como administrador meio instintivamente, sem grandes conhecimentos técnicos. Eu sou bem dedicado (só tirei A e A+).

Canadiando: Você já está trabalhando na área de Business? Qual a grande diferença em relação Brasil – Canadá neste setor?

Léo: Acho que aqui vai a minha grande dica: pra todos aqueles que são formados no Brasil em áreas regulamentadas, ou seja, que exige revalidação de diploma no Canadá, como: Odontologia, Medicina, Direito, Farmácia, entre outros, se preparem para começar absolutamente do zero.

Sou formado em Odontologia e isso não vale nada quando estamos procurando emprego aqui. Vou além, eu diria que até atrapalha porque os recrutadores no Canadá vêem com um certo preconceito. Eu tinha experiência como dono de um hotel, mas não valeu muita coisa também.

Experiênca canadense

Aqui o que vale, de fato,  é a experiênca canadense. Caso você seja formado em áreas não regulamentadas como TI, administração, auxiliar de escritório, construção civil, eletricista, etc, fica muito mais fácil porque essa experiência tem valor aqui. Essas são as pessoas que conseguem se encaixar mais fácil no mercado de trabalho.

Quando comecei a procurar emprego, trabalhei no Walmart no setor de calçados e hoje trabalho como auxiliar de escritório num escritório de advocacia. Assim que terminar meu curso de Business vou começar o processo de validação do meu diploma como dentista.

Casal em Manitoba, no Canadá
Arquivo pessoal

Canadiando: Pelas suas pesquisas, para qual província você não iria? Qual motivo?

Léo: Essa é uma pergunta sem uma resposta perfeita. Cidades grandes tem grandes vantagens (o que fazer, transporte público melhor, proximidade com aeroportos, etc), mas as cidades pequenas também tem vantagens (segurança ainda maior, tudo é mais próximo, as pessoas se conhecem mais…)

Se eu tivesse que criar uma regrinha matemática, eu diria: Você é jovem, gosta de vida mais agitada, bares, teatros, etc? Cidade grande é melhor.

Mas para que tem filhos pequenos, quer calmaria pra curar o trauma do Brasil, uma cidade pequena é mais apropriada.

Em relação às províncias, acho que eu não iria para as mais badaladas: Ontario, BC, Alberta e Quebec porque a concorrência é maior e os salários para dentistas são menores do que nas províncias menos disputadas.

Canadiando: Qual a sua principal fonte de pesquisa sobre o Canadá?

Léo: Google, Google Maps e Youtube.

Canadiando: Usou o serviço de alguma consultoria educacional? Como foi a experiência de vcs? Valeu a pena?

Léo: Sim. Todos foram perfeitos, não tenho nada pra reclamar. Eu sugiro muito que se contrate consultorias quando a gente está dando os primeiros passos. Mas depois de um ano de Canadá a gente já fica pronto pra fazer as renovações de visto e novas aplicações sozinho.

Para enfrentar o processo de imigração canadense você precisar ser…. Humilde e preparado pra descer alguns degraus e forte pra enfrentar a saudade da família.

Canadiando: As expectativas bateram com a realidade da vida no Canadá?

Léo: Depende. Eu tinha ido algumas vezes para a Europa e já visitei 25 países até hoje. O Canadá não tem aquela carga de cultura que a Europa tem. Mas é muito seguro e organizado. E sinceramente acho que é um país que tem um grande futuro, devido à localização geográfica.

Canadiando: Qual seu conselho para quem está iniciando o seu Projeto Canadá ?

– Junte dinheiro
– Avalie muito bem a melhor hora de aplicar para um visto (devido à pandemia, o governo está negando muitos vistos)
– Aproveite muito a família no Brasil antes de vir (vai fazer muita falta!)

Canadiando: Teria feito algo diferente?

Léo: Sim. Eu não teria ficado em homestay (durante meu curso de inglês)

Canadiando: Que conselho você gostaria ter recebido antes?
Estude mais inglês!

Projeto CanadáO Projeto Canadá busca, sobretudo, relatar as histórias dos imigrantes de língua portuguesa que estão recomeçando a vida na América do Norte. 🎯 Se você pretende ou já mora no Canadá e quer dividir a sua jornada e ajudar muitas pessoas, mande uma mensagem clicando aqui.

É compartilhando experiências que vamos crescendo a nossa rede. Leia as histórias passadas e anote todas as dicas, com certeza elas serão úteis no seu planejamento. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *