Elas desembarcaram no país sem medo de ser feliz. Há um ano trocaram o sul do Brasil pela a cidade de Charlottetown, na província de Prince Edward Island, e não se arrependem nem um segundo da escolha que fizeram para iniciar o Projeto Canadá.

A Carolina e a Bibiana são casadas há quase dezesseis anos e, entre tantos casais que sonham simplesmente em levar uma vida tranquila e não ficar a mercê de preconceito, foi no Canadá que encontraram a paz tão almejada.

Conheci as duas antes de pisarem no país, e sei do quanto se dedicaram para este plano dar certo. A estrada é longa, mas tem fim. Só espero que elas consigam logo essa residência permanente para continuarem na área. Afinal de contas, gente boa a gente quer sempre por perto ❤️.  Anotem as dicas e saibam mais sobre a vida nesta província que faz parte do “Atlantic Pilot Program”.

Canadiando:  Por que vocês escolheram a ilha de Prince Edward?

Carolina: A escolha partiu das buscas pelo curso na área de Wildlife que eu estava de olho. Embora ele exista em outras províncias, o curso da Holland College tinha tudo o que eu buscava: fica numa cidade pequena e linda, o número de alunos é menor comparado a outros lugares e tem muita atividade prática.

Além disso, o custo de vida e do próprio curso é significativamente mais baixo do que em outras províncias.
Bibiana: Escolhemos PEI por ser uma província pequena e com bastante natureza. Isso sem falarvdo custo de vida mais baixo.

Canadiando: Qual o motivo que despertou a vontade de vir para o Canadá?

Carolina: Conheci o Canadá em 1997. Como bióloga, além de ficar encantada com as belezas naturais, me surpreendi com o cuidado com meio ambiente, com a preocupação com a natureza, organização e os investimentos nos parques nacionais.

Além disso, visitar cidades em que a bandeira do arco-íris está pendurada em muitos estabelecimentos traz uma sensação de pertencimento que não sentimos no Brasil, onde o preconceito é grande e, infelizmente, perigoso.

Bibiana:  A Carol sempre foi apaixonada pelo Canadá e quando eu demonstrei interesse em morar fora ela disse: “se formos mudar de país, iremos para o Canadá”. Dito isso, fomos morar um mês em Winnipeg e foi a melhor viagem/experiência da minha vida.

Nenhum lugar fez com que eu me sentisse tão bem e tão em casa quanto o Canadá. E cá estamos nós, agora em definitivo colocando em prática o nosso projeto.

Canadiando: E me conta sobre este curso. Você está gostando? 

Carolina: Sim, muito. Estou cursando “Wildlife Conservation Tecnology” que é um programa de 2 anos. Tem muita atividade voltada a trabalho de campo (prática) e os professores são muito acessíveis.

Nós fazemos uma semana de acampamento e geralmente é sempre em New Brunswick, contudo, com a história do Covid esse ano será aqui na ilha mesmo. Em resumo, fazemos muitos trabalhos, aprendemos de tudo um pouco: desde a fauna e flora local até a utilização de mapas etc. 

Além disso, acho importante ressaltar é que as pessoas não podem esperar por uma faculdade de biologia, por exemplo. A princípio, é um curso técnico, focado principalmente no manejo das questões ambientais. Planejamento e gerenciamento de áreas selvagens, basicamente isso.

Canadiando: Vocês estão gostando de morar em Charlottetown?

Carolina e Bibiana: Sim, adoramos morar aqui. A cidade tem tudo, não sentimos falta de nada. É uma vida simples e muito prática.

Canadiando: E o Holland College como instituição, vale o investimento?

Carolina: Essa questão é muito pessoal. Eu, particularmente, acho que vale como Instituição pelas instalações, o material fornecido, pelo preço do college (pois é um dos mais baratos do Canadá em determinados cursos). Além disso, o escritório internacional deles é excelente e sempre me ajudaram em tudo que precisei. Dessa maneira,  sendo um college menor, eles tem condições de dar mais atenção e suporte aos alunos internacionais. 

Canadiando: O que é mais difícil deixar para trás?

Carolina: Família, sem dúvida.
Bibiana: Com certeza, a família.

Canadiando: Pelas suas pesquisas, para qual província você não iria? 

Carolina: Yukon, Territórios do Norte e Nunavut pela distância e os longos invernos rigorosos.

Não me importo em dar alguns passos para trás para ser livre, ter seguranca e qualidade de vida

Canadiando: Qual a sua principal fonte de pesquisa sobre o Canadá?

Carolina: Tudo que a internet oferece: grupos de Facebook, vídeos no YouTube e Instagram de pessoas que já passaram por esse processo e, de fato, nos deram uma boa idéia sobre como tudo funciona.

Contudo, é interessante também pesquisar em outras línguas. Em espanhol, por exemplo, encontramos uma série de informações interessantes que em vídeos em português não tínhamos visto.

Claro que, para ter certeza absoluta de qualquer informação, sempre consultamos o site oficial do Governo Canadense. Em relação aos estudos, é importante consultar os sites oficiais dos colleges e trocar emails direto com eles quando necessário, dessa maneira você evita informações equivocadas.

Canadiando: Vocês já vieram antes para o Canadá? 

Carolina: Estive aqui fazendo  turismo em 1997 com a família. Visitamos British Columbia e parte de Alberta. Em 2004, estive em Ontario, Quebec e Províncias do Atlantico. Em 2018, Winnipeg.

Bibiana: Sim. Em 2018 quando ficamos por um mês em Winnipeg.

Canadiando: Qual era o maior medo em emigrar do Brasil?

Bibiana: Na verdade, eu não tinha medo de emigrar do Brasil. De fato, o país ainda comporta um preconceito muito grande aos LGBT+’s e tem bastante violência em diversos sentidos. Portanto, ir para o Canadá, para mim, significa ser livre para viver em paz com a minha esposa.

Canadiando: propósito, você já sentiram algum preconceito por aqui? 

Carolina: Eu nunca. Aqui podemos falar abertamente que estamos juntas, andar de mãos dadas sem receber olhares constrangedores etc. Vivemos a nossa vida em paz. Ano passado soube que numa cidade muito pequena aqui da ilha ocorreu uma certa “animosidade” no dia de combate à homofobia. Não quiseram hastear a bandeira LGBT+’s e tal. Mas acredito que sejam casos bem isolados e nada que se compare ao que acontece no Brasil hoje e sempre. 

Canadiando: Vocês também cogitaram imigrar para outros países?

Carolina: Chegamos a pesquisar um pouco sobre Irlanda, Inglaterra e Estados Unidos, mas o Canadá sempre foi a primeira escolha.
Bibiana: Pesquisamos outros países, como a Carol citou, apenas como uma alternativa se acaso o plano Canadá não desse certo.

Canadiando: Qual o principal conselho para quem está iniciando o seu Projeto Canadá

Carolina: Antes de fazer uma consultoria de estudos ou imigração, pesquise muito e aprenda o máximo que puder sobre os processos em que você se enquadra.

Faça a consultoria somente assim que tiver, de fato, com dúvidas bem específicas, que não encontrou online ou antes de dar algum passo importante como fazer uma aplicação, por exemplo.

CONSULTORIA

No nosso caso, fizemos parte do processo sozinha, mas ter uma consultoria acompanhando nos deu uma tranquilidade que não tínhamos no meio de tantas informações disponíveis e as vezes desencontradas.

Ter uma consultoria não significa entregar papéis e esperar o resultado chegar, ou seja, deve ser um trabalho em conjunto: seguimos pesquisando e questionando nosso consultor sobre cada dúvida ou passo tomado.

O valor dessa assessoria é caro? Sim e não. Claro que é mais um gasto em meio a tantos outros do processo, mas vale cada centavo pela tranquilidade que você ganha sabendo que profissionais habilitados estão ao seu lado nesse sentido.

Em síntese, comece a organizar documentos desde o início, mesmo que só precise deles para fases avançadas do processo. Antes mesmo de aplicar pelo Express Entry ou decidir qual college cursar, busque o histórico escolar na faculdade, faça a tradução juramentada de documentos que você já tem em mãos ou atualize passaporte, identidade e carteira de motorista.

Alguns documentos se consegue facilmente, mas alguns podem demorar a chegar e atrasar todo um planejamento. Nunca é cedo demais pra isso.

IMPORTANTE

Esteja de mente e coração abertos. Pode ser que corra tudo bem e tudo que se planejou aconteça, mas na grande maioria dos casos esse é um processo de muitos altos e baixos emocionais, vitórias que te fazem acreditar que vai dar tudo certo seguidas de notícias que podem mudar todo seu planejamento.

Ter planos A, B, C, D é mais que uma verdade, é uma necessidade. 

Se você também tem vontade de estudar no Canadá clique aqui e agende a sua consultoria educacional gratuita

O Projeto Canadá busca, sobretudo, relatar as histórias dos imigrantes de língua portuguesa que estão recomeçando a vida na América do Norte.

 Se você pretende ou já mora no Canadá e quer dividir a sua jornada e ajudar muitas pessoas, mande uma mensagem clicando aqui.

É compartilhando experiências que vamos crescendo a nossa rede. Leia as histórias dos projetos passados e se ligue em  todas as dicas, pois elas serão úteis no seu planejamento.

Veja mais sobre o tema na última live: 

1 thought on “Prince Edward Island: Como é viver na menor província do Canadá?

  1. Olá, ótimo post! Estou pensando em PEI no Plano Canada e queria saber do mercado de trabalho pro curso de Wildlife Conservation Tecnology. Inicialmente, como bióloga, estava pensando no Bioscience Technology que também é na Holland pois, fiquei sabendo de umas vagas em fábricas que sempre surgem. Grata!! Uma verdade inspiração o posto, estou concluindo Biologia aqui no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *