Projeto Mães no Canadá * Especial Top Five: Cinco conselhos imperdíveis para as mães imigrantes

A cada mudança de rumo colhemos o bônus e também tropeçamos pelas pedras que aparecem pela frente. Ser mãe em qualquer lugar do planeta é uma experiência muito particular, mas sempre intensa. E a maternidade feliz em terras canadenses, dentro da minha experiência pessoal, depende muito de como você encara a vida e faz do limão a limonada. 

Para ser mais prática, organizei cinco dicas que acredito serem essenciais para as mães imigrantes nessa caminhada rumo à vida na América do Norte. Confira:

1. Organização:

Se você sempre foi aquela pessoa mais “largada”, do tipo vamos levando e tal, as coisas vão ter que mudar. E essa mudança se dará pela sua sobrevivência. No Canadá você não terá acesso fácil ao “combo” babá + empregada como em terras brasileiras. Você e seu companheiro terão que dar conta do recado sozinhos. E isso ocorre em 99% das famílias de todos os níveis sociais. 

Na minha cidade o serviço de “babysitter” custa uma média de dez dólares a hora. Só usamos em ocasiões especiais. Mas sei que em outras províncias não sai por menos de vinte. 

Além disso, ter uma empregada também tem um alto custo, no mínimo uns vinte dólares por hora. E é aquela limpeza superficial. Nada no estilo “faxina” que estamos acostumados,  são raras as exceções. Por isso, a organização é essencial. Tire um dia fixo para limpar a bagunça e ensine os pequenos a ajudarem nas tarefas desde cedo. 

Na minha casa integramos as agendas pelo calendário do computador. Temos o dia da faxina, de limpar a garagem, de rever as contas e de preparar e congelar as “quentinhas” da semana e os lanches escolares. Sim, aqui todo mundo leva comida de casa para o trabalho, do presidente ao peão. Não existe frescura. 

E tentamos, na medida do possível, estabelecer os horários, como: do jantar, do estudo, das brincadeiras e de dormir (confesso que esse último nunca funciona). 

Você não precisa ter a rotina severa de um batalhão do exército. Mas é preciso ter o mínimo de organização  para dar conta da tropa, afinal de contas, aqui a sua roupa limpa depende de você : )

2. Desapego

Emigrar deveria ser sinônimo de desapegar. Primeiro porque você deve desapegar do passado, de coisas materiais, entre outros. E esse é um desapego positivo e que no futuro vai agregar muito para a sua vida. 

Não fique somente se preocupando com as comidas, costumes e coisas que você não tem por aqui. Desapegue. Prove diferentes sabores e se deixe influenciar pela cultura local. Faça novos amigos. 

Se você topou viver essa experiência de emigrar para um país tão multicultural, viva isso intensamente. Seus filhos vão se modificar para melhor com essa experiência. E isso depende muito de você. É importante se integrar e abrir a mente para tudo de novo que o Canadá tem para lhe oferecer.  

Passe as roupas e brinquedos usados dos seus filhos adiante. Ninguém vai se sentir ofendido. Recicle e faça a roda girar. 

3. Simplicidade

Sim, os canadenses são pessoas simples. Não vão lhe julgar mal se você estiver com uma camisa velha ou se seu filho for para a aula com a calça suja de suco. O  menino de roupa rasgada que brinca com ele no parque pode ser o herdeiro do empresário mais rico da cidade ou do funcionário que serve café no Tim Hortons.

Todas as escolas são públicas e você tem crianças dos mais diversos níveis sociais convivendo em harmonia. O problemas somos nós, adultos.

As pessoas ostentam menos e as crianças aprendem desde cedo esse conceito de igualdade. Não faça julgamentos precipitados, cuidado com os rótulos. Parta do princípio de que aqui todo mundo é igual e tem acesso ao mesmo pacote básico de benefícios. 

A simplicidade tem um efeito libertador e nos faz enxergar o quanto é fácil ser feliz sem precisar de muito. Não acredite em tudo que você vê no facebook. Esses dias tirei uma foto maravilhosa com o meu filho. Ninguém percebeu nada de errado. Isso porque posicionei estrategicamente a mão para tapar um buraco na calça, perto do joelho, que passava a perna inteira. E isso é que vale nessa vida. Aprenda a improvisar sem perder a ternura : )

4. Responsabilidade

Os canadenses não são neuróticos, mas respeitam horários e prazos. Aniversários de criança, por exemplo, tem horário de início e fim. Se você chegar atrasado para pegar o seu filho, não vai ficar bem na fita. Esse é apenas um exemplo. Mas é importante ter essa  noção de compromisso e  responsabilidade para saber como a banda toca por aqui.

Seus filhos terão prazos escolares que vocês devem cumprir à risca.  Aqui a escola cobra a sua participação. Sei de pessoas que sempre se atrasavam para pegar os filhos na parada do ônibus escolar  e acabaram perdendo a vaga no transporte. 

São pequenas coisas que vivendo aqui você aprende. Essa rotina regrada pode parecer bem chata, mas acaba tornando a vida mais fácil. No Canadá ou você se integra ao sistema ou as coisas simplesmente não andam. 

5. Humildade

Desça do salto já na entrada. Aqui seus filhos  são iguais a qualquer outra criança da mesma idade.
Quem chega com o topete no alto querendo chamar a atenção pela sua prole diferenciada será solenemente ignorado. Boa parte das mães são humildes e adoram escutar novas histórias e trocar experiências. E isso vale para a maternidade e diversos aspectos da vida.

Esteja com o coração aberto para aprender. Você deu um grande passo para trás para voar três quarteirões na frente. 

Já aprendi e sigo aprendendo muito com as mães canadenses. A cada inverno eu penso: “Pô mas aquilo que a fulana me ensinou funciona mesmo nesses dias frios etc…”. Então, não venha pra cá achando que já sabe muito somente com os manuais de internet. 

E o mais importante: tenha paciência. O Canadá tem seu tempo. Tudo acontece na hora certa por aqui. Ninguém está julgando você mal por optar estar em casa cuidando do seu filho em vez de trabalhar. Pelo contrário, a maternidade plena em terras canadenses tem um valor inestimável. Aproveite esse presente : )


Confira também os textos das outras participantes do projeto:

Gaby (Toronto, ON) | Gaby no Canadá 
Adriane (Ottawa, ON) | Like a New Home
Carol (Vancouver, BC) | Fala Maluca
Carol (Mississauga, ON) | Minha Neve e Cia
Livi (Toronto, ON) | Baianos no Pólo Norte
Mari (Calgary, AB) | De Bem Com a Vida
Vanessa (Calgary, AB) | Partiu Canada BR
Beatriz (Vancouver, BC) | Biba Cria
Alessandra Cayley (Toronto, ON) | Alicia e Outros Papos
Alessandra Schneider (Bathurst, NB) | Canadiando
Renata (Burnaby, BC) | Mala Inquieta
Amanda (Winnipeg, MB) | Viva Manitoba

 

10 thoughts on “Projeto Mães no Canadá * Especial Top Five: Cinco conselhos imperdíveis para as mães imigrantes

  1. Texto perfeito. Duas coisas me chamaram a atenção: a parte do desapego das comidas (perdi as contas do número de mães que já me mandaram mensagem sobre batata baroa para seus filhos) e tbem de que a criança com calça rasgada pode ser o herdeiro de um milionário. Super verdades. Amo ser mãe aqui e acho muito tranquilo. Beijão

  2. Que post incrível. Eu (marido) estou indo com minha esposa para o Canadá no próximo verão e estamos ansiosos para iniciar essa nova vida. O “grande passo para trás” que você comenta é um dos pontos principais para seguirmos o plano Canadá. Desde o início do projeto (há quase 3 anos atrás) temos mudado diversas coisas em nossas vidas visando ter uma vida mais simples, humilde, com mais alegria e sem preocupações com o que os outros acham. Temos colhido ótimos frutos dessa decisão e não temos dúvidas que há hectares e hectares de frutos maravilhosos a serem colhidos em solo canadense, obviamente após árduo trabalho e dedicação para emigrar e criar nossa família. Parabéns pelo blog!

  3. Oi, xará, tudo bem? 🙂 Adorei seu post, realista e com informações super úteis, principalmente no quesito organização. Interessante saber como a vida no Canadá tem ritmo e estilo parecidos, aqui (Ontário) ou New Brunswick. Curti. Beijo grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *